Cenário Internacional

Cenário Internacional – 09/10/2020

Destaques do cenário internacional desta semana:

  • Bolsas nos EUA fecham em alta de quase 2% com esperança sobre acordo de estímulo parcial
  • Recuo nos pedidos de auxílio-desemprego nos EUA
  • Falta de estímulos pode ameaçar recuperação econômica dos EUA
  • Petróleo cai 2% com aumento de estoques nos EUA
  • Comitê da Câmara dos EUA acusa big techs de monopólio
  • Trump diz que não participará de um debate virtual com Biden
  • Bolsas operam em alta nesta quinta-feira (8)
  • Desemprego é maior fator de risco no mundo
  • Recuperação incompleta ainda pode entrar em “dinâmica recessiva”
  • Parlamento Europeu não ratifica acordo UE-Mercosul
  • Ações europeias fecham em alta
  • Parlamento Europeu aprova ambiciosa estratégia climática
  • Vacina contra Covid é “improvável” até fim do ano na UE, diz Agência Europeia de Medicamentos
  • Banco do Japão eleva perspectiva de oito das nove economias regionais
  • Vale vê demanda chinesa sólida

Bolsas nos EUA fecham em alta de quase 2% com esperança sobre acordo de estímulo parcial

Os mercados de ações dos Estados Unidos encerraram em forte alta nesta quarta-feira (7), com investidores recuperando o otimismo de que pelo menos um acordo parcial sobre mais estímulos fiscais nos EUA possa acontecer.

Na terça-feira (6) o presidente Donald Trump pediu ao Congresso que aprovasse uma série de projetos de lei menores e independentes que incluiriam um pacote de socorro para a indústria aérea. As ações das companhias do setor se valorizaram, e os papéis da United Airlines subiram 4,3%.

O Dow Jones Industrial Average subiu 1,91%, para 28.303,46 pontos, o S&P 500 ganhou 1,74%, para 3.419,45 pontos, e o Nasdaq teve alta de 1,88%, para 11.364,60 pontos.

Recuo nos pedidos de auxílio-desemprego nos EUA

O número de novos pedidos de auxílio-desemprego nos EUA caiu na semana passada. Apesar do recuo, o número permaneceu em patamar elevado, sinalizando que o mercado de trabalho dos Estados Unidos está fazendo pouco progresso em sua tentativa de levar milhões de pessoas de volta ao emprego.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego totalizaram 840 mil em dado com ajuste sazonal na semana encerrada em 3 de outubro. Na semana anterior foram 849 mil.

Falta de estímulos pode ameaçar recuperação econômica dos EUA

Diretores do Federal Reserve temem que a falta de um estímulo fiscal adicional possa prejudicar a recuperação da economia norte-americana.

Em sua última reunião, em 15 e 16 de setembro, os integrantes do Banco Central americano discutiram sobre as perspectivas econômicas em meio a pandemia, já que os membros do FMOC – Federal Market Committee (Comitê Federal de Mercado Aberto) disseram que a economia estava indo melhor do que o esperado em boa parte por causa da ajuda fiscal fornecida pelo governo.

Esse apoio está em risco, pois as negociações entre a Casa Branca e os democratas no Congresso foram interrompidas e podem não ser retomadas antes das eleições presidenciais de novembro.

De acordo com os integrantes do Fed, pequenos negócios e agricultores estavam sendo estimulados pelos pacotes do governo em meio a uma economia que havia recuperado mais empregos do que o esperado até agosto.

Petróleo cai 2% com aumento de estoques nos EUA

Os preços do petróleo caíram quase 2% nesta quarta-feira (7), após Donald Trump frustrar expectativas de um pacote de estímulo à economia local e os estoques da commodity no país registrarem aumento na última semana.

Os contratos futuros do petróleo Brent fecharam em queda de US$ 0,66, ou 1,6%, a US$ 41,99 por barril, enquanto o WTI (petróleo dos EUA) recuou US$ 0,72, ou 1,8%, para US$ 39,95 o barril.

Mark Meadows, chefe de gabinete da Casa Branca, disse não estar otimista de que um acordo abrangente quanto ao auxílio financeiro em função da pandemia possa ser atingido. Meadows acrescentou que o governo Trump apoia uma abordagem mais fragmentada.

De acordo com dados do governo, as reservas de petróleo no país tiveram alta de 501 mil barris na semana passada.

Comitê da Câmara dos EUA acusa big techs de monopólio

Uma comissão da Câmara dos Deputados dos EUA que investiga práticas antitrustes cometidas pelas big techs (Amazon, Apple, Google e Facebook) concluiu que as quatro empresas detêm um poder de monopólio que foi usado para excluir rivais, cobrar taxas excessivas e impedir a competição com aquisições.

O relatório recomenda mudanças nas leis antitruste e regras que dificultem a compra de empresas menores por parte das gigantes de tecnologia.

No relatório, os congressistas afirmaram:

Essas empresas têm muito poder, e esse poder deve ser freado e sujeito à supervisão e fiscalização adequadas. Nossa economia e democracia estão em jogo”.

Em julho, os CEOs das companhias investigadas responderam às perguntas dos congressistas, que abordaram temas como uso de dados pessoais, a atuação dessas empresas no mercado e a disseminação de fake news.

No documento divulgado nesta terça-feira (6), o grupo de congressistas criticou os executivos, dizendo que eles se esquivaram das perguntas durante a audiência e acusaram as empresas de terem sido pouco participativas no fornecimento de documentos relevantes solicitados durante as investigações.

Os membros do Comitê recomendam que novas leis sejam aprovadas para proibir as empresas de darem vantagem aos seus próprios produtos nas plataformas que controlam.

Trump diz que não participará de um debate virtual com Biden

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse nesta quinta-feira (8) que não participará do debate presidencial da próxima semana após os organizadores decidirem organizar o evento de maneira virtual.

Trump acusou a comissão bipartidária responsável pela organização de “proteger” o democrata Joe Biden e afirmou: “Não vou perder meu tempo em um debate virtual. Debater não é isso“.

A comissão explicou que visa proteger a saúde e a segurança de todos os envolvidos. A equipe de campanha de Trump afirmou que o presidente pode organizar um comício em vez de comparecer ao debate.

Bolsas operam em alta nesta quinta-feira (8)

As bolsas mundiais operam em alta na manhã desta quinta-feira (8). O movimento ocorre depois de o índice Dow Jones ter tido nesta quarta-feira (7) o melhor desempenho desde 14 de julho, fechando em alta de 1,9%, após o presidente Donald Trump ter declarado ser favorável a uma ajuda às empresas aéreas e a outras medidas de estímulos.

As bolsas mundiais mostram uma tendência positiva na manhã desta quinta-feira (8), enquanto os investidores aguardam definições sobre novos estímulos à economia dos Estados Unidos.

Na quarta-feira (7), os membros do Federal Reserve manifestaram preocupações de que a recuperação da economia norte-americana pode não ocorrer se o estímulo fiscal não for aprovado, segundo ata divulgada ao mercado.

Na Europa, as bolsas permaneceram predominantemente no campo positivo.

Na Ásia, os mercados também mostraram tendência positiva, com exceção do índice Hang Seng, de Hong Kong, que caiu 0,20%. No Japão, o Nikkei subiu 0,96%, enquanto o Kospi, da Coreia do Sul, subiu 0,21%. Na China, os mercados estão fechados devido a um feriado local.

Desemprego é maior fator de risco no mundo

Segundo pesquisa conduzida pelo Fórum Econômico Mundial, o desemprego é visto por executivos de empresas do mundo inteiro como a maior preocupação para os próximos dez anos.

As taxas de desemprego dispararam por causa dos lockdowns e de outras restrições para combater a pandemia de Covid-19.

As interrupções de empregos causadas pela pandemia, a tendência crescente de automação e a transição para economias mais verdes estão alterando os mercados de maneira fundamental“, afirmou Saadia Zahidi, diretora do Fórum Econômico Mundial.

Enquanto emergimos dessa crise, líderes terão uma oportunidade notável de criar novos empregos, apoiar salários dignos e para reimaginar as redes de segurança social, a fim de atendam os desafios nos mercados de trabalho de amanhã“, complementou Zahidi.

A pesquisa, que será publicada próximo mês, consultou 12.012 líderes empresariais de 127 países e faz parte do relatório global de competitividade do Fórum Econômico Mundial.

Recuperação incompleta ainda pode entrar em “dinâmica recessiva”

Nesta terça-feira (6), Jerome Powell, chair do Federal Reserve, alertou que a recuperação econômica dos Estados Unidos continua longe de ser concluída e ainda pode cair em uma espiral descendente se o coronavírus não for efetivamente controlado.

Powell não mencionou nenhum outro programa do Fed além da quase dúzia de medidas lançada a partir de março, muitas ainda inexploradas e deixando potencialmente trilhões de dólares à disposição de empresas e mercados de crédito.

De acordo com Powell, o pior foi evitado. Empréstimos do governo para pequenas empresas e benefícios de auxílio-desemprego aprimorados têm apoiado uma recuperação forte, mas incompleta, da demanda.

Parlamento Europeu não ratifica acordo UE-Mercosul

O Parlamento Europeu aprovou nesta quarta-feira (7) uma resolução que manifesta oposição à ratificação do acordo comercial entre União Europeia e Mercosul. O motivo foram preocupações com a política ambiental do governo brasileiro.

Aprovado por 345 votos a favor, 295 contra e 56 abstenções, o texto diz que o Brasil vai contra os “compromissos feitos no Acordo de Paris, particularmente no combate ao aquecimento global e na proteção da biodiversidade”.

A rejeição, entretanto, é simbólica e o acordo ainda precisa ser analisado pelo plenário da Casa, bem como em cada um dos parlamentos nacionais dos dois blocos.

Autoridades europeias consideram improvável que a matéria consiga superar os trâmites burocráticos, a não ser que haja uma considerável reversão do avanço do desmatamento na Amazônia.

Na semana passada, o eurodeputado português José Manuel Fernandes, que chefia a delegação responsável pelas relações com o Brasil, pediu que as duas partes dialoguem para solucionar o impasse.

Ações europeias fecham em alta

As ações europeias atingiram uma máxima em quase três semanas nesta quinta-feira (8) com a expectativa dos investidores sobre mais estímulos dos Estados Unidos.

O índice FTSEurofirst 300 subiu 0,75%, chegando a 1.425 pontos. O índice pan-europeu STOXX 600 atingiu os 368 pontos, ganhando 0,78%. O índice de referência alemão atingiu seu maior nível desde meados de setembro.

Nos EUA, os índices de Wall Street avançavam após sinalização do presidente Donald Trump de prosseguir nas negociações de novos estímulos fiscais, dias após ter suspendido as conversas sobre um acordo mais abrangente.

Entretanto, Nancy Pelosi, a presidente da Câmara dos EUA, disse que não haverá ajuda federal adicional para as companhias aéreas sem um pacote de auxílio maior.

Setores enfraquecidos como bancos, empresas de petróleo e gás e viagens e lazer estavam entre os maiores beneficiados.

Parlamento Europeu aprova ambiciosa estratégia climática

O Parlamento Europeu aprovou formalmente nesta quinta-feira sua nova estratégia climática, que prevê uma ambiciosa meta de reduzir em até 60% as emissões de gases que provocam o efeito estufa até 2030.

O objetivo de redução de 60% é a ainda mais ambicioso do que havia sido anunciado em setembro pela presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, que mencionou 55%.

A estratégia foi estabelecida na quarta-feira à noite no Parlamento Europeu, durante a votação de emendas. Nesta quinta-feira, o texto definitivo foi aprovado por 392 votos a favor, 161 contrários e 142 abstenções.

O social-democrata Frans Timmermans, coordenador do chamado “Acordo Verde” na Comissão Europeia, comemorou no Twitter a aprovação do documento.

Com seu voto sobre a lei climática, o Parlamento Europeu envia uma mensagem forte sobre a necessidade de ser ambicioso na resolução da crise climática”, escreveu.

A nova legislação pretende consagrar em um marco vinculante a promessa política de alcançar a neutralidade climática na Europa até 2050”, destacou o Parlamento Europeu em um comunicado.

A nova legislação será objeto de negociação entre o Parlamento Europeu e os países membros, que ainda não se comprometeram com uma posição comum. A Polônia, altamente dependente do carvão, é contrária a metas climáticas mais ousadas.

Em 16 de setembro, Von der Leyen propôs que a meta europeia de redução de emissões de CO2 deveria aumentar de 40% a pelo menos 55%, um objetivo que considerou “ambicioso mas factível”.

Vacina contra Covid é “improvável” até fim do ano na UE, diz Agência Europeia de Medicamentos

Segundo Guido Rasi, diretor-executivo da Agência Europeia de Medicamentos, é improvável que uma vacina contra a Covid-19 esteja disponível até o fim do ano na União Europeia.

O responsável pelo órgão regulador de medicamentos do bloco europeu afirmou nesta quinta-feira (8) que “Tecnicamente, é possível. Na prática, é muito difícil“.

A pressão por uma vacina aumenta globalmente, quando os casos de coronavírus ultrapassam 36 milhões e países voltam a adotar restrições que estrangularam as economias.

Nos Estados Unidos, aprovar uma vacina até as eleições de novembro, prazo desejado pelo presidente Donald Trump, também parece cada vez mais improvável.

Rasi deixará o comando da Agência Europeia de Medicamentos em 15 de novembro e será substituído por Emer Cooke, ex-colega na agência. Ela tem trabalhado como supervisora de regulamentação de medicamentos na OMS.

Banco do Japão eleva perspectiva de oito das nove economias regionais

O Banco do Japão (BoJ na sigla em inglês) elevou sua perspectiva para oito das nove economias regionais do país, mas ponderou que a recuperação das economias após a pandemia de Covid-19 está avançando lentamente.

Em relatório trimestral divulgado nesta quinta-feira (8), o banco central disse que apenas a ilha de Shikoku ainda não começou uma recuperação da forte desaceleração registrada no início deste ano.

O documento afirma que a economia na região de Tóquio começou a se recuperar, mas permanece em uma situação grave.

Para a maioria das outras economias regionais, o Banco do Japão fez uma avaliação semelhante.

Vale vê demanda chinesa sólida

A Vale está mantendo sua estimativa anual de produção de minério de ferro.

De acordo com o diretor financeiro Luciano Siani Pires, a mineradora continua com a meta de produção de cerca de 310 milhões de toneladas de minério de ferro este ano.

Apesar dos ventos contrários , a Vale está se beneficiando de uma recuperação de cerca de 30% nos preços do minério em meio à forte demanda chinesa, com suas ações se recuperando da baixa do final de março.

Enquanto a curva a termo do minério de ferro ainda aponta para baixo, a demanda chinesa está “muito sólida”, disse Siani.

Ele confirmou que a Vale foi abordada pela Tesla Inc. sobre um possível acordo de fornecimento de níquel, acrescentando que qualquer negócio com a empresa “levaria algum tempo”.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *